RC: Técnica de Relaxamento

RELAXAMENTO CINÉTICO (RC)

O Relaxamento Cinético (RC) é uma técnica de relaxamento cujo princípio é extremamente simples e sua prática ainda mais (o livro completo pode ser baixado neste link).

Todo foco de tensão emite sinais: "dói" ou "incomoda", de um modo ou de outro.

O RC nos propõe de, ao invés de utilizarmos as técnicas clássicas de automassagem, relaxamento, ioga ou outros exercícios preconcebidos para este fim, simplesmente nos dispormos a:

1. Através da nossa "a-tensão", "escutarmos" a tensão que nos "fala" através da linguagem do incômodo.

2. "Dialogar" com a tensão, enviando em sua direção movimentos, a partir do que nos inspira intuitivamente os sinais emitidos pela tensão.

O embasamento do RC fundamenta-se, então, no encontro entre uma zona de tensão e o fluxo, o movimento que, em princípio, deveria percorrê-la naturalmente, isto é, no DIÁLOGO natural que todo organismo efetua entre um foco de TENSÃO neuromuscular e o MOVIMENTO que é enviado na direção do bloqueio, a fim de diluí-lo no fluxo assim criado.

Este diálogo entre o "incômodo", de um lado, e nossos movimentos "intuitivos" do outro, não representa, em si, absolutamente nenhuma novidade, ele é apenas uma redescoberta.

Pois todos nós já praticamos essa técnica inconscientemente, massageando, por exemplo nosso pescoço dolorido e, mesmo, espreguiçando-nos.

Os próprios animais são mestres nesta arte:

Quem já não viu um cão ou um gato deitado, criando contorções corporais e permitindo, assim, que a força da gravidade desfaça docemente a tensão muscular que ele acumulou durante uma ação?

Vários outros exemplos são observáveis na natureza, indicando que o princípio ativo do "Relaxamento Cinético" é um patrimônio da vida, utilizado na higiene neuromuscular dos seres vivos do mesmo modo que a água é utilizada na higiene da pele.

Este princípio poderia ser descrito como um DIÁLOGO entre a TENSÃO e a "A-TENSÃO".

O que aqui chamamos de "a-tensão", nossa atenção é literalmente uma "a-tensão", ou seja, uma ausência de tensão, é um ato calmo e consciente, realizado pelo portador de uma tensão em direção desta, visando reabsorvê-la no movimento acionado, seja ativamente, através do próprio movimento, seja passivamente, mantendo uma contorção corporal que será "trabalhada"  pela força da gravidade, a qual atua como um "massagista" que alonga um grupo de músculos.

Nós realizamos tais atos de higiene neuro-muscular mais freqüentemente do que imaginamos!

Na maioria dos casos, de maneira "intuitiva" e inconsciente.

O RC consiste, precisamente, em uma reativação dessa memória intuitiva que todos nós já possuímos naturalmente, a fim de desenvolvermos nossa capacidade de realizar mais a fundo e mais consistentemente essa limpeza neuromuscular.

A chave de todo bloqueio é o movimento dito "espontâneo".

E a chave deste é o que conhecemos sob nome de "intuição".

Com o tempo e a experiência constataremos que nossa intuição nos leva cada vez mais e melhor aos pontos de bloqueio que necessitam ser reativados em nós mesmos e nos dá, ao mesmo tempo, indicações bastante precisas, embora inconscientes, de como ir desfazendo os "nós tensionais" existentes.

***

Você pode ter uma ideia do RC ou experimentar um pouco dele seguindo os seguintes:

DOZE PASSOS BÁSICOS DO RELAXAMENTO CINÉTICO

1. ATENÇÃO À ATENÇÃO. Comece a caminhar pela sala colocando sua atenção no contato das plantas de seus pés com o solo e deixando que vá pouco a pouco chegando a seu próprio ritmo. Há um ritmo natural que não tem nada a ver com aquele que nos é imposto. Tenta contatar com seu próprio ritmo, sem julgar se ele é lento ou rápido, deixando que ele se manifeste.

2. ATENÇÃO  AO MOVIMENTO. Escolha um lugar de forma intuitiva e fecha os olhos.

Com os olhos fechados busca um movimento espontâneo e natural. Experimenta esse movimento que surge naturalmente. Lembra que você está intuindo uma sensação de movimento que vai pouco a pouco fluindo dentro de você. Deixe-se levar por ele.

3. ATENÇÃO À TENSÃO. Detecta as tensões do corpo que vão se manifestando com o movimento. Somente as detecta, constata sua existência.

4. ATENÇÃO AO ENCONTRO MOVIMENTO-TENSÃO. Colocar a atenção nesse encontro, ou seja, notar como o movimento entra em contato com as tensões. Não faça nada especial, somente constata esse encontro entre o movimento e as tensões.

5. AMPLITUDE DO MOVIMENTO. Agora colocamos nossa atenção em ampliar o movimento que estamos fazendo até o máximo de suas possibilidades, ocupando o máximo de espaço com nosso corpo e seu movimento.

6. DESACELERAÇÃO DO MOVIMENTO. De uma forma natural vamos lentificar nosso movimento, desacelerando-o sem que perca sua amplitude, cada vez mais desacelerado.

7. PROLONGAÇÃO DE TI.  Nosso movimento agora amplo e bem desacelerado se estende e prolonga bastante, como se varresse o espaço com seu ritmo. Colocamos  a atenção nessa prolongação infinita de ti.

Pouco a pouco vamos buscando o solo, deixando-nos atrair pela gravidade, até que ficamos sentados no solo.

8. PEQUENAS CONTORÇÕES.  Uma vez sentados colocamos nossa atenção em nossos músculos, criando pequenas contorções com eles como se os retorcêssemos para escorrer suas tensões, igual ao que faríamos com um pano molhado do qual queremos tirar toda a água.

Vamos deixando-nos  cair totalmente no solo, seguindo a atração da gravidade.

9. GRANDES E EXAGERADAS CONTORÇÕES. Grandes contorções exageradas com o corpo, procurando manter o máximo de contato com o solo (EXPERIMENTANDO, BUSCANDO, INVESTIGANDO TODAS AS POSSIBILIDADES E LIMITES DE NOSSAS ARTICULAÇÕES). Manter alguns segundos a contorção e deixar que se desfaça com a gravidade.

10. ATENÇÃO AO CORPO.  Façamos um passeio de nossa atenção ou consciência por todo nosso corpo, viajando por ele, passando por todas as suas partes, sem nos determos em nenhum lugar. Corrigir ou mudar a posição de alguma parte se notar algum desconforto.

11. ATENÇÃO À SUA RESPIRAÇÃO. Observa sua respiração sem alterá-la nem modificá-la, somente constatando sua existência. Corrige sua posição se notar algum desconforto em alguma parte.

12. ATENÇÃO PROFUNDA À RESPIRAÇÃO. IDÉIA DE FLUTUAÇÃO. Liberdade total de consciência. Sua consciência não tem que se ocupar de nenhuma tarefa, nem sequer da comodidade do seu corpo que agora está entregue à gravidade. O corpo está com a gravidade. Sua consciência pode flutuar com total liberdade.

Passado algum tempo, regressamos com a atenção a nosso corpo, iniciando com pequenos movimentos em nossas extremidades (mãos e pés) que vão se ampliando lentamente a todo o corpo. Pouco a pouco vamos nos sentando e uma vez sentados e reincorporados abrimos os olhos.

***

Extrato do livro "Relaxamento Cinético (RC): a paz, ou a redescoberta do óbvio". Clique aqui para acessar a página onde você vai encontrar este livro disponível para ser baixado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário